Sentir novamente o gostinho de disputar a Série A do Campeonato Brasileiro será a sensação que o América experimentará no próximo domingo (15), às 11h, quando recebe o Sport, no Independência.

Nesta sexta-feira (13), as atividades do time, realizadas na parte da manhã, iniciaram-se com exercícios físicos e de prevenção na academia. Em seguida, a ênfase foi na construção de jogadas ofensivas e posicionamento defensivo.

Na segunda parte do treinamento, um trabalho tático foi feito com parte do grupo, em que o técnico Enderson Moreira esboçou a equipe titular para o compromisso do próximo domingo. Houve também um aprimoramento de lances de bola parada.

O meia Ruy, com cansaço muscular, deixou o treino mais cedo, por precaução, mas não preocupa. Já o goleiro João Ricardo, com estiramento grau 2 no reto femoral da coxa direita, o volante David, com estiramento grau 2 no adutor esquerdo, e o lateral Giovanni, com estiramento grau 1 no reto femoral da coxa direita cumpriram mais um dia do processo de recuperação no departamento médico.

Como estratégia para mobilizar o grupo, a diretoria do Coelho encheu a arquibancada do CT Lanna Drumond de funcionários que trabalham arduamente em outros setores do clube.

"Nós vamos começar a competição mais importante do ano. O América se chama América Futebol Clube, porque o futebol é nossa origem. Com essa ação, queremos sensibilizar os jogadores, para que eles percebam a importância que representam para o Clube. E também queremos trazer para perto os funcionários, para que eles se engajem ainda mais em prol do Clube", discursou o presidente Marcus Salum.

Após as atividades, o técnico Enderson Moreira se dirigiu para sala de imprensa e destacou como foi a preparação do alviverde para a estreia no Brasileirão e como será a caminhada da equipe, que busca a permanência na elite do futebol nacional em 2019 e até voos maiores.

Confira os principais pontos destacados pelo comandante durante a entrevista:

Aspecto emocional para a estreia

A nossa expectativa é de jogos muito difíceis, a exemplo desse primeiro jogo. O Sport é muito bem treinado pelo Nelsinho, que tem uma experiência enorme, sabe o que quer de uma equipe. É um time de jogadores de ótimo nível. Mas espero que a gente possa fazer um bom jogo e colocar em prática aquilo que preparamos durante esse período. É claro que se trata de uma estreia, e, por esse fator, sabemos que o aspecto emocional pode, de alguma forma, interferir um pouco. Porém, temos aqui uma equipe madura e bem preparada para fazer um grande jogo e buscar esses primeiros três pontos.

Zé Ricardo e Christian

Tanto o Zé Ricardo, quanto o Christian são jogadores com um perfil muito bom. São jogadores de qualidade. O Christian teve um crescimento grande nesse período. O Zé já demonstrou sua qualidade, o que é capaz de fazer. São atletas em que confiamos muito. Temos a possibilidade de fazer um desenho um pouco diferente da equipe com cada um deles.

Possibilidade de mudança na escalação

A gente tem uma forma de jogar. Fizemos alguns encaixes em função do rendimento técnico da equipe. Temos boas opções, e quando precisarmos fazer algum tipo de modificação, contamos com atletas bem preparados para iniciar o jogo. Nosso grupo é muito homogêneo, então não tem nenhum jogador do nosso elenco que se sair causará uma tragédia. Os jogadores são bem capazes e próximos em termos técnicos. Isso faz com que a gente possa utilizá-los de uma maneira bem tranquila.

Leandro Donizete

O Leandro vai acrescentar muito. É um jogador com boa bagagem, experiente. Mas, ao mesmo tempo, muito vivo e intenso. Quando conversamos com ele, percebemos claramente o brilho no olhar, a vontade de ajudar neste projeto. Trata-se de um atleta multicampeão e sempre teve um nível enorme de competitividade. Eu não tenho dúvida nenhuma de que ele vem com uma perspectiva excelente. O Leandro foi muito bem recebido, se ambientou rapidamente. Em breve, vai nos dar uma resposta muito positiva dentro de campo.

Elenco está fechado para o Brasileiro?

Não digo que o elenco está fechado. Sempre ressalto que o Brasileiro é um campeonato longo, com sete, oito meses de duração. De repente, as coisas podem se modificar de alguma forma. Nós temos sempre que estar abertos a todas as possibilidades. Porém, hoje, temos uma boa qualificação em todas as posições. Mas se acontecer alguma possibilidade muito boa, podemos, sim, buscar trazer para o nosso grupo.

Projeção de pontos

Eu não costumo ter esse tipo de projeção, pois trabalhamos jogo a jogo. A gente sabe o número decisivo e suficiente para o nosso primeiro objetivo. Às vezes, pode-se estabelecer metas curtas, a cada quatro, cinco jogos, mas se alcançamos muito rápido, não podemos desprezar os demais jogos. E se perdemos muito em algum bloco, não dá para desanimar e descartar o objetivo principal. Não pode ser dessa maneira. O que penso é que são 38 partidas, 38 decisões. Então é pontuar sempre, sempre que possível. Essa é a nossa expectativa.