Marielle e o ódio fascista na internet

Por *ALTAMIRO BORGES


Enviado em 19 de março de 2018 às 23:26:27



Renan O. / CMRJ
 
 

O assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ) causou uma comoção nacional. Milhares de manifestantes saíram às ruas em várias cidades nesta quinta-feira (15) para exigir justiça e o fim da onda de ódio e preconceito que cresceu no país desde a cruzada golpista contra a nossa democracia. Até a TV Globo, que sempre inviabilizou a luta das forças democráticas por direitos humanos, foi forçada a recuar, tentando capturar o sentimento de revolta da sociedade. Mas nas redes sociais, os fascistas voltaram a sair do esgoto para destilar seu veneno. Alimentados por alguns "calunistas" da mídia tradicional e por grupelhos da extrema-direita, eles culparam a própria vítima pela barbaridade cometida.

Os comentários no site Antagonista, editado por "celebridades" da velha imprensa – como Diogo Mainardi, da TV Globo, e Mário Sabino, ex-chefão da Veja –, mostram que tipo de gente foi chocada nesta cloaca. Um internauta doente rosnou: "Ela não queria uma polícia e a guarda metropolitana desarmados? Colheu o que plantou". Outro mais psicopata atirou: "Parece que a vereadora nutria uma simpatia pelos manos, já que nunca se viu ela lamentar pelos policiais mortos covardemente pelos traficantes... Quem semeia ventos, colhe tempestade". Já outro maluco afirmou que a culpa pelo assassinato é do "bando de vagabundos comunistas que destruíram o país e provocaram o genocídio de 1 milhão de brasileiros". Um quarto babou: "Menos uma petralha no mundo".

Como estas excrecências – bastam estas para não causar vômito –, são várias as mensagens festejando a morte de Marielle Franco, atacando os que lutam por direitos humanos e demonizando as forças de esquerda. O site Antagonista, assim como outras páginas de extrema-direita, preferiram adotar a cautela nas suas postagens. Mesmo assim, não esconderam seu ódio visceral às esquerdas e seu apoio – sabe-se lá a que preço – à intervenção decretada pelo covil golpista no Rio de Janeiro. "Ninguém sabe quem executou a vereadora. É essencial, porém, que seus assassinos sejam encontrados e punidos para dissipar qualquer dúvida em relação à missão militar", opinaram os militaristas e golpistas da página.

Já o site do sinistro Movimento Brasil Livre (MBL) tentou minimizar o assassinato da vereadora. "Sim, todos os homicídios no Brasil são políticos. Todos os mais de 60 mil". Para o grupelho fascista, estes assassinatos decorrem da "desvalorização das polícias, da glamourização de bandidos, da lei penal branda, da justiça que manda soltar, do desarmamento do povo". O vereador do MBL na capital paulista, Fernando Holiday, até postou uma "nota de pesar", mas logo desferiu seus ataques doentios ao PSOL "pelo uso político dessa tragédia". Os caras são doentes! Ou para ser mais preciso: são cúmplices dos assassinos de Marielle Franco!


Os comentários abaixo não representam a opinião do Portal Minas1. A responsabilidade é do autor da mensagem.
Comentar

Comentar

* = Preenchimento obrigatório
Nome *
Email *
Mensagem *
 

Comentários

Nenhum comentário ainda.

Histórico

Judiciário teratológico [monstruoso]

Enviado em: 12 de julho de 2018

Artigos

O Cabaré pegou Fogo

Enviado em: 12 de julho de 2018

Artigos

O Waterloo de Tite

Enviado em: 08 de julho de 2018

Artigos

O AI-5 da Globo

Enviado em: 02 de julho de 2018

Artigos

Vida de gado, povo marcado, povo feliz

Enviado em: 02 de julho de 2018

Artigos

Cármen Lúcia apequenou o STF

Enviado em: 01 de julho de 2018

Artigos

Capitães do mato do Império

Enviado em: 24 de junho de 2018

Artigos

Publicidade