Morre Carlos Araújo, ex-deputado e ex-marido de Dilma Rousseff


Enviado em 12 de agosto de 2017 às 18:39:01


Carlos Araújo, em 2012 ISADORA BRANT FOLHAPRESS

 

Advogado, lutou contra a ditadura militar na VAR-Palmares, organização em que conheceu a ex-presidente

 

No início da madrugada deste sábado, o advogado trabalhista e ex-marido de Dilma Rousseff, Carlos Araújo, morreu aos 79 anos, depois de semanas de internação por causa de uma cirrose motivada por medicamentos. O advogado foi uma figura marcante na luta armada contra a Ditadura Militar, é um dos fundadores do PDT e foi deputado estadual pelo Rio Grande do Sul na década de 1980. Sua saúde já estava debilitada há anos por um enfisema pulmonar.

Gaúcho, Araújo era natural de São Francisco de Paula, nasceu em 1938 e era filho do também advogado trabalhista Afrânio Araújo. Na década de 1990 ainda concorreu para a prefeitura de Porto Alegre, mas perdeu a disputa para o petista Olívio Dutra. Depois disso, afastou-se da política, passando a se dedicar integralmente à advocacia. Contudo, nunca deixou fazer análises e participar da vida política brasileira.

Dez anos mais velho que a ex-presidenta Dilma Rousseff, conheceu-a em 1969 na organização de esquerda VAR-Palmares, que fazia luta armada contra o regime militar ditatorial brasileiro. No início da década de 1970, os dois foram presos e torturados pelo Governo militar. Dilma deixou a cadeia em 1973, ele em 1974. Depois dos anos de tortura, os dois viveram juntos até 2000, tendo continuado amigos próximos depois da separação.

Em nota, o PT lamentou a morte do advogado: “Araújo foi um grande ativista político, tendo sido companheiro da ex-presidenta Dilma por mais de 20 anos, com quem lutou lado a lado contra ditadura militar e, mais recentemente, contra as forças políticas que levaram ao golpe”. Em sua página do Facebook, o ex-presidente Lula disse que “a democracia brasileira deve muito ao empenho e coragem de Carlos Araújo durante a ditadura militar”.

Nas entrevistas que deu nos últimos anos, dizia considerar o impeachment da ex-presidente um golpe e um processo de degradação irreversível para a democracia brasileira. Na época do afastamento, também disse que Dilma estava abandonada por PT, recebendo pouquíssimo apoio dentro do próprio partido. Além da ex-mulher, Araújo deixa a filha Paula Rousseff Araújo – única do casal – e mais foi filhos e dois netos.


Os comentários abaixo não representam a opinião do Portal Minas1. A responsabilidade é do autor da mensagem.
Comentar

Comentar

* = Preenchimento obrigatório
Nome *
Email *
Mensagem *
 

Comentários

Nenhum comentário ainda.

Histórico

Polícia prende suspeitos de morte de prefeito no Mato Grosso

Enviado em: 16 de dezembro de 2017

Brasil

Arrecadação do Natal sem Fome supera as expectativas

Enviado em: 16 de dezembro de 2017

Brasil

Entidade distribui bonecas trans e causa revolta de pais

Enviado em: 16 de dezembro de 2017

Brasil

Publicidade