Rebaixar o currículo

Por Luis Borges


Enviado em 16 de maio de 2017 às 15:34:09


 

A necessidade de sobrevivência imediata pressiona muitos candidatos que buscam oportunidades de trabalho a entender mais rapidamente as causas de seus insucessos nos processos seletivos. Muitos deles acabam percebendo que é preciso gerenciar o currículo, apresentando apenas as competências e habilidades mais voltadas para o nível da vaga aberta, principalmente após terem perdido oportunidades em que seus atributos estavam muito acima das expectativas do contratante. O que fazer diante desse tipo de necessidade? É o que aborda a BBC Brasil no artigo Esconder qualificações no currículo: a tática para conseguir emprego que floresce na crise.

“Assumir um cargo com currículo muito acima do necessário implica certos riscos, apontam especialistas em mercado de trabalho.

O primeiro é a dúvida – muitas vezes legítima – da empresa sobre o porquê da candidatura, e a suspeita de que o profissional deixará o emprego tão logo consiga algo melhor.

O segundo é o receio de que o funcionário se desmotive rapidamente ou fique ansioso por uma promoção que a empresa não pode oferecer”.

Valor da aposentadoria

Apesar da grande discussão sobre a Reforma da Previdência, ainda que nem sempre haja muita profundidade ou mesmo transparência suficiente nos números oficiais apresentados, uma dúvida que sempre fica no ar é se o valor da aposentadoria será suficiente diante de tantas necessidades. Dessa dúvida só ficam de fora os servidores públicos que recebem supersalários.

O desafio será sempre no sentido de se conseguir guardar um pouco do que se conseguiu ganhar durante algumas décadas da vida. Mas como tornar isso possível? Márcia Dessen mostra um caminho em seu artigo Poupar deixou de ser uma escolha.

“O valor que investimos hoje para a aposentadoria é determinante para acumular um montante maior ou menor no futuro. Além do valor, é importante que seja frequente, todos os meses. Não espere sobrar, não vai sobrar. O desafio será poupar para o futuro sem nos privar do bem-estar no presente.”

A nova classe trabalhadora

A emergência de uma nova classe trabalhadora é permeada por especificidades nem sempre bem observadas, como revela a mais recente pesquisa da Fundação Perseu Abramo sobre a periferia de São Paulo. Assim começa o artigo Os valores da nova classe trabalhadorade Marcio Pochmann, Presidente da Fundação, ao analisar e tirar conclusões sobre os resultados apresentados pela pesquisa. Pochmann encerra seu artigo publicado pela Folha de S. Paulo afirmando que:

“A ascensão pelo trabalho e o sucesso pelo mérito combinam-se com os valores mais coletivistas relacionados à atuação do Estado e à ampliação da inclusão social. Esse novo caldo exigirá renovações tanto na forma quanto no conteúdo das políticas públicas!”


As informações e opiniões expressas neste portal são de responsabilidade única do autor.
Os comentários abaixo não representam a opinião do Portal Minas1. A responsabilidade é do autor da mensagem.
Comentar

Comentar

* = Preenchimento obrigatório
Nome *
Email *
Mensagem *
 

Comentários

Nenhum comentário ainda.

Histórico

É obrigatório ter filhos?

Enviado em: 22 de junho de 2017

Colunas

Passeio de trem entre Mariana e Ouro preto

Enviado em: 21 de junho de 2017

Colunas

Crescimento econômico contínuo na Austrália

Enviado em: 20 de junho de 2017

Colunas

Greve de Policiais

Enviado em: 19 de junho de 2017

Colunas

Temer quer derrubar denúncia na CCJ

Enviado em: 16 de junho de 2017

Colunas

Publicidade