Três suspeitos de participação na morte do jogador Daniel são presos no Paraná


Enviado em 08 de novembro de 2018 às 17:54:09


Daniel foi morto na madrugada de 27 de outubro, em São José dos Pinhais, no Paraná

 

Os três presos se apresentaram à polícia na manhã desta quinta-feira

 

Fonte:  Gazeta Press

 
Dando prosseguimento às investigações da morte de Daniel Correa Freitas, a polícia Polícia Civil de São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, prendeu nesta quinta-feira mais três suspeitos de participarem da agressão e posterior tortura do jogador na madrugada do dia 27 de outubro. Ygor King, de 19 anos, David Willian da Silva, de 18 anos, e mais um homem identificado como primo da família Brittes se apresentaram por volta das 10h30 (de Brasília).
 
Com os mandatos expedidos pela 11ª Vara Criminal de São José dos Pinhais na última quarta-feira, data da prisão de Eduardo, que é primo de Cristiana Brittes, os dois acusados de participarem e terem ajudado o empresário Edison Brittes Júnior na agressão a Daniel na festa que aconteceu na casa da família ficarão presos de forma temporária, pelo período de 30 dias.
 
Na última quarta-feira, o delegado da Polícia Civil de São José dos Pinhais, Amadeu Trevisan, declarou na última terça-feira que não houve tentativa de estupro por parte de Daniel Corrêa contra Cristiana Brittes , mulher do assassino confesso do jogador do São Paulo, Edison Brittes. No depoimento, o empresário afirmou ter ouvido gritos de sua esposa de dentro do quarto.
 
Segundo o delegado, essa foi conclusão chegada pela polícia após ouvir novas testemunhas do caso no início desta semana. De acordo com Trevisan, nenhuma das testemunhas relatou ter ouvido os gritos de Cristiana, como foi relatado pela família Brittes, mas sim os berros do jogador enquanto era espancado. Tanto o empresário Daniel, quanto a esposa Cristiana e a filha Allana seguem presos de forma temporária.
 
Na apuração preliminar do Instituto Médico-Legal (IML), divulgada pela Polícia Civil, Daniel foi espancado na casa da família Brittes e, depois, levado para um matagal, onde o corpo foi encontrado. A morte foi causada por ferimento por arma branca. O corpo do jogador foi velado e sepultado na última quarta-feira, em Conselheiro Lafaiate, em Minas Gerais, cidade da família do atleta.
 
Mineiro de Juiz de Fora, Daniel foi morto aos 24 anos. Revelado pelo Cruzeiro, o meio-campista foi contratado pelo São Paulo após se destacar no Botafogo. Também passou por Ponte Preta e Coritiba. Ele estava emprestado pelo Tricolor paulista ao São Bento, que disputa a Série B do Campeonato Brasileiro.

Os comentários abaixo não representam a opinião do Portal Minas1. A responsabilidade é do autor da mensagem.
Comentar

Comentar

* = Preenchimento obrigatório
Nome *
Email *
Mensagem *
 

Comentários

Nenhum comentário ainda.

Histórico

Sob o domínio do medo

Enviado em: 20 de novembro de 2018

Brasil

Casamentos homossexuais como resistência a Bolsonaro

Enviado em: 18 de novembro de 2018

Brasil

Pesquisa

Publicidade