Do Tempo

A candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, comemorou a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que rejeitou prosseguimento a uma representação do PSDB contra sua candidatura por causa da quebra de sigilo fiscal de
pessoas ligadas ao presidenciável José Serra. "A Justiça deixou claro que ela não está, não pode e tenho certeza que a Justiça do meu País não será usada para dar força para factoide", declarou em entrevista em Porto Alegre.

A petista repetiu que há "desespero" na atitude da oposição e uma tentativa de "ganhar no tapetão". Ela também disse que "não vai ficar respondendo factoides que o candidato adversário, no seu desespero, lança todo dia".

Dilma não quis comentar o fato de o candidato José Serra (PSDB) ter usado o caso da quebra de sigilo na propaganda de TV. "Não vou fazer crítica à estratégia de campanha do candidato adversário", respondeu.

Ao ser perguntada, na entrevista, disse que sua estratégia é enfatizar "que o País mudou".

Dilma afirmou ainda que no último mês de campanha terá uma linha propositiva na propaganda eleitoral. A presidenciável petista ressaltou o desempenho do Produto Interno Bruto (PIB) no primeiro semestre e disse que este número, de forma anualizada, mostra a possibilidade de crescer mais de 7% em 2010, o que representaria o maior resultado nos últimos 24 anos, segundo ela.