Doria vence prévias e será candidato do PSDB ao governo de SP


Enviado em 18 de março de 2018 às 21:11:56


© Adriano Machado / Reuters

 

Ele recebeu 80,07% dos votos dos filiados ao partido nas prévias realizadas neste domingo (18)

Com mais de 90% das urnas apuradas, o prefeito de São Paulo, João Doria, disputará o governo de São Paulo pelo PSDB nas eleições de outubro. Ele recebeu 80,07%  dos votos dos filiados ao partido nas prévias realizadas neste domingo (18).

Doria disputou a indicação da sigla ao Bandeirantes com o empresário Luiz Felipe D'Ávila, o deputado federal e secretário Floriano Pesaro e o senador José Aníbal.

Por volta das 18h, com boa parte das urnas apuradas -e indicando uma vitória ampla de Doria-, tanto D'Ávila como Pesaro afirmaram que irão trabalhar pela união do partido em São Paulo, em torno de suas candidaturas ao estado e à Presidência.

Para D'Ávila, as prévias, como aconteceram, foram açodadas e devem ter regras melhores. Ele afirmou que houve pouco tempo entre a definição da data, em 5 de março, e a eleição partidária neste domingo -além disso, comentou que a definição antes da desincompatibilização eleitoral acaba favorecendo quem está em um cargo eletivo e tem "recall", como é o caso de João Doria. 

Agora, o pré-candidato diz esperar que o partido saia unido em São Paulo. "Precisamos dar esses 2 milhões de votos ao Geraldo Alckmin. Isso só vai acontecer com o governo unido", afirmou.

Para Pesaro, a ampla maioria de votos em Doria reflete uma união no partido. Ele disse que cisões e eventuais suspeitas de fraude nas prévias estão superadas diante da vantagem do prefeito paulistano.

Secretário estadual de Desenvolvimento Social, ele conta que irá disputar a reeleição para a Câmara e que sua manutenção na pasta caberá ao vice-governador Márcio França (PSB), quando o pessebista assumir o Bandeirantes, caso Alckmin renuncie para disparar a Presidência. 

Tanto o deputado como o secretário defendem que o PSDB não trate o eventual governo França -que articula candidatura própria ao governo- como oposição. Para eles, o vice-governador dará continuidade à plataforma de Alckmin. Com informações da Folhapress. 


Os comentários abaixo não representam a opinião do Portal Minas1. A responsabilidade é do autor da mensagem.
Comentar

Comentar

* = Preenchimento obrigatório
Nome *
Email *
Mensagem *
 

Comentários

Nenhum comentário ainda.

Histórico

Pimenta: os militantes de toga já estãoderrotados

Enviado em: 15 de julho de 2018

Política

Bolsonaro testa os limites da barbárie nacional

Enviado em: 15 de julho de 2018

Política

Ex-presidente Lula completa 100 dias na prisão

Enviado em: 15 de julho de 2018

Política

No Pará, Bolsonaro defende PM por massacre em Carajás

Enviado em: 14 de julho de 2018

Política

Bolsonaro pode manter equipe econômica de Temer

Enviado em: 13 de julho de 2018

Política

Pesquisa

Publicidade